Escolher madeira balsa

artigo
detalhes

Ao selecionar chapas de balsa para o uso em modelos, é importante estudar a forma como se constitui o elemento, desde o grão até a sua densidade e percurso da fibra.

A direção do grão controla realmente a rigidez ou a flexibilidade de uma folha de balsa, mais do que a densidade. Por exemplo, se a folha é cortada do tronco para que os anéis da árvore se encontrarem com a espessura da folha (GRÃO – corte tangencial), então, a folha terá uma margem bastante flexível de contornar.
De fato, depois que penetre água algumas folhas alças de corte podem ser completamente enroladas em forma de tubo, sem que se quebre.
Se, por outro lado, a folha é cortada com os anéis a espessura da folha (GRÃO C) a margem da tabela vai ser muito rígida para contornar e não pode ser dobrado sem que se quebre. Quando a direção de grão é menos claramente definida (GRÃO B corte aleatório), a tabela terá a maioria das propriedades intermediárias entre A e o grão C.
Naturalmente, o GRÃO B é o mais comum e é próprio da maioria dos trabalhos. saiba onde utilizar esta particular madeira e como tirar vantagem das suas características especiais.

GRÃO A Corte Tangencial ou de Fibras longas

A chapa de balsa obtidas por este tipo de corte (corte) apresenta um traço longo e muito flexível no sentido transversal da tabela que pode ser facilmente dobrado, resultando ideal para aeromodelismo em placas de madeira, construir fuselagem tubo e bordos de ataque das asas.

Não deve ser usada para o banho total da asa ou a superfícies do empenaje, também não deve ser usada para construir os lados planos de avião, costelas ou reforços.

GRÃO B Corte Diagonal ou de Fibras Intermediárias

As pequenas linhas que se observam nesta chapa de balsa (corte B) indicam que o grão passa a ferro em sentido diagonal, o que lhe confere uma consistência algo frágil. É a mais usada para propósitos gerais, em aeromodelismo, adequada para os lados da fuselagem planos, bordas de ataque, reforços, reforços, banho de bordas de fuga, etc.

Grão C Corte Radial ou de Fibras Curtas

Tem aparência manchada e é conhecida como “Quarter Sawn” ou “Quarter Grain” (corte C), é cortada em forma radial a partir do centro do tronco, e em ângulos retos em relação à tábua de engomar. É rígida e se quebra com certa facilidade, mas quando é usada apropriadamente ajuda a construir os modelos mais leves e resistentes, é usada para o banho de aeromolelismo de asas e empenajes, os laterais da fuselagem planos, reforços, reforços, borda de fuga, estruturais tipo tabelas, etc…

A principal propriedade da madeira de Balsa é a relação entre o seu peso, extremamente leve e de alta resistência e estabilidade, sendo esta sua qualidade e vantagem a mais destacada.

Como características organolépticas da madeira de Balsa, apresenta uma textura suave, textura fina, grão reto, brilho médio, sem cheiro ou sabor reconhecíveis, cerne de cor vermelha ou marrom e alburno esbranquiçada, amarelada ou cor-de-rosa, sendo esta a parte da qual se extrai a maior quantidade de madeira comercial, a qual exige, para adquirir as propriedades necessárias para a sua transformação primária, de um processo de secagem cuidado que deve iniciar-se nos três primeiros dias depois de cortado.

Neste sentido, o processo de secagem –uma das chaves para garantir a madeira de boa qualidade–, deve iniciar com a exposição do material ao ar livre para, em seguida, submetê-lo à secagem em forno onde termina o processo.

Publicado em Construção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*